Blog

TOXINA BOTULÍNICA OU PREENCHIMENTO?

15 Views0 Comment

Por: Dra.Natália Gardin – Dermatologista

O processo de envelhecimento gera alterações nas proporções das estruturas faciais. Essas mudanças estruturais estão relacionadas com flacidez da pele (refletida e intensificada pela genética, exposição solar, tabagismo, excesso de uso de álcool, dieta inadequada), ação dos músculos, reabsorção óssea com perda de sustentação e diminuição dos compartimentos de gordura faciais.
Faces proporcionais, bem marcadas, com contornos definidos e com melhor aparência e textura de pele parecem ser mais atrativas e desejadas. Portanto, diante do processo de envelhecimento, com a expectativa de uma aparência mais jovem ou mesmo o desejo de manutenção da beleza, a busca por tratamentos estéticos tem aumentado.
E para atender essa demanda a toxina botulínica e o preenchimento facial são procedimentos bastante indicados, mas mesmo sendo muito realizados e comentados atualmente, ainda há muita dúvida em relação a finalidade e aplicação de cada um deles. Os dois procedimentos tem muitas diferenças, como o produto utilizado, sua ação, região de aplicação e técnica utilizada, embora o objetivo de ambos seja diminuir a aparência dos sinais do envelhecimento facial, como rugas, sulcos e linhas de expressão.

TOXINA BOTULÍNICA
A toxina botulínica, muito conhecida por um de seus nomes comerciais (Botox), é uma neurotoxina cuja ação leva ao relaxamento do músculo, portanto é indicada para tratar rugas dinâmicas, que são aquelas que surgem em decorrência da contração dos músculos faciais, conseguindo atenuar ou eliminar as rugas de expressão (como as rugas formadas quando se faz a expressão de assustado, bravo e sorrindo) e, além disso, também atua prevenindo o aparecimento das rugas estáticas, aquelas aparentes mesmo sem o movimento muscular.
Na face, para finalidade estética, a toxina botulínica é aplicada principalmente na testa – no músculo frontal e nos músculos entre as sobrancelhas para correção das rugas dessas regiões, na região lateral dos olhos para corrigir os pés de galinha, no músculo nasal – para amenizar as rugas da expressão de “cheiro ruim” e também em um músculo próximo ao lábio superior para correção de sorriso gengival. Aplica-se um anestésico tópico (pomada) cerca de 30 minutos antes, e segue-se com procedimento que é realizado através da aplicação do produto nos músculos específicos. O efeito só começará ser percebido após cerca de 72 horas, e só é completo após 15 dias.

PREENCHIMENTO
Já o ácido hialurônico é uma substância produzida naturalmente pelo nosso organismo, biocompatível e reabsorvível, mas que vai diminuindo com o processo de envelhecimento. O preenchimento com essa substância é indicado para atenuar sulcos profundos, chamados de rugas estáticas, realizar reposição volumétrica e melhorar os contornos faciais, e pode, ainda, ser aplicado para promover uma hidratação mais profunda da pele.
Dessa forma, é usado para aplicação nos sulcos nasolabiais – mais conhecido como “bigode chinês” e nos sulcos nasojugais que formam as olheiras, para repor volume labial e na região das maçãs do rosto, assim como, para aplicação na região do queixo e mandíbula para melhor definição de contorno facial. A aplicação do ácido hialurônico é feita por agulhas ou microcânulas injetadas em regiões pré-determinadas da face.

Em relação a durabilidade, ambos apresentam resultados temporários, com perda progressiva do efeito. Os resultados da toxina botulínica duram, em média, 4 a 6 meses, enquanto que do preenchimento duram cerca de 12 a 18 meses. Portanto, são procedimentos distintos mas com finalidade estética complementar, dessa forma, nada impede que os tratamentos sejam combinados. E quando bem indicados enaltecem ainda mais a beleza da face, de uma forma natural, trazendo mais harmonia e jovialidade.

TOXINA BOTULÍNICA OU PREENCHIMENTO? 

 

Dra. Natália Gardin – CLÍNICA RENOVITÁ
Rua Jacob Blumer, Nº 550- Bairro Residencial
Presidente Prudente-SP
18 3223 5525 / 99788 0873
Instagram: @dranataliagardin